Bebedouro do Futuro

Rio Ribeira de Iguape no nascedouro
Ainda reflete: – Ávido tesouro! –
O manancial límpido e guardado
De tempos idos... Tidos! Preservado

Como um baú de outrora, destinado,
Quem sabe a outros momentos? Reservado,
Esquecido de todos, bebedouro
Do futuro da Vida! Aluvião (– De ouro?

– Não!) Veia d’água viva que parece
Inesgotável, mas, não é! Carece
De um cuidado maior, senão teremos

Outro canal inútil; pescaremos
Biodiversidade (acho) morta! Prece
Faço dia-a-dia: – Ribeira permanece!

Osvaldo Matsuda

Nenhum comentário:

Postar um comentário