periG suína

A pandemia não deixa ninguém
De fora, pois atinge qualquer um.
Democrática, ríspida, incomum
E letal influenza! Diga amém!

Influenza A(H1N1) não matarás?
Gripe suína! periG suína! Disseram
Entendidos: dos suínos não vieram
As consequências graves. Cantarás

Tu a canção final? Desta influenza suína?
E doutros que virão cedo ou mais tarde?
Quem sabe, é tempo de ponderação?

A natureza tem uma divina
Forma de resolver qualquer alarde,
Pondera, altera e exclui... periG ação!

(Osvaldo Matsuda)
(SP, 14 de maio de 2009)

Nenhum comentário:

Postar um comentário