Poemas de Danubio Fialho (O Poeta de Porto Alegre)


A VIDA
No silencioso grito
D’uma semente
A vida explode
Numa efêmera existência
Da folha verde
Ao amarelo seco
É vida descolorindo
E no outono
Nos braços de uma brisa
O último balanço
Acalentada pela terra
Repousa
Na aparente sepultura
Explode
Para outro ciclo de vida.


1 comentários:
nivalda disse...
Muito lindos os poemas de Danubio Fialho. Gostaria de ler mais sobre ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário